quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

ALDO: AGORA AGUENTA CORAÇÃO NO RIO!!!

Crédito das fotos: Fernando Azevedo/Fla Imagem



José Aldo é o mais novo atleta do Mengão
Campeão do UFC fechou contrato na manhã desta quarta na Gávea

O lutador de MMA José Aldo é o mais novo atleta do Flamengo. O atual campeão do UFC na categoria peso-pena esteve na sede da Gávea na manhã desta quarta-feira (28.12) e acertou os detalhes de sua contratação por uma temporada. Estiveram presentes à reunião, a presidente Patricia Amorim, o vice-presidente jurídico Rafael De Piro, o vice de administração e Fla-Gávea Luis Claudio Cotta, os advogados do clube, Rodrigo Fux e Theóphilo Miguel, além do técnico do lutador, Andre Pederneiras.

“É um sonho que está realizado. Sempre torci, chorei e acompanhei o Flamengo desde criança e agora poder fazer parte desta companhia é maravilhoso. É um momento em que consigo alcançar mais um objetivo na carreira”, disse José Aldo, que também recebeu das mãos da presidente Patricia Amorim o título de sócio honorário e uma camisa oficial já com seu nome gravado nas costas.

“Ele já havia demonstrado em várias oportunidades o amor que tem pelo Flamengo. Tivemos algumas reuniões anteriormente, mas hoje concretizamos a parceria. É um namoro antigo que finalmente vira casamento. José Aldo é do Mengão!”, festejou a mandatária rubro-negra.

O primeiro compromisso de José Aldo pelo Flamengo será no dia 14 de janeiro, quando ele irá estampar a marca do Rubro-Negro no UFC 142, na Arena HSBC, no Rio de Janeiro, evento no qual ele fará a luta principal e colocará o cinturão da categoria em jogo contra o norte-americano Chad Mendes.

“Agora estou ainda mais forte. Sei que a imensa nação vai estar com a gente. Queria aproveitar também para mandar um abraço para toda a torcida rubro-negra e pedir pra que ela compareça no dia 14, que vou procurar dar um show para todos vocês”, finalizou Aldo.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

AMIGOS VALEU!!!

video

RFT; DESCANSAR??????????



Faltam 3 dias para o ano acabar, ou seja, semana de descanso para atletas e professores, certo?

Errado!

Para Mestre Márcio Cromado e seu time profissional reza o ditado: deixa pra descansar quando morrer!"

Da uma olhada no timasso que acaba de treinar no CT da RFT.

Ninguém ta de bobeira na maior e melhor equipe de Luta Livre do Mundo!

Vai aqui o meu abraço pra Cromado, Deya e toda a galera da RFT, Ossssss!!!



Olivar Leite.

AÇÃO: ZÉ CARLOS FAIXA PRETA E MESTRE FULVIO MIYATA.




O judoca José Carlos Pires Neto, aluno do sensei marco Leite( Ação / Viva Agua ) foi aprovado no teste para faixa preta, realizado nestae sábado ( 24/12) pela FMJ com o aval da CBJ.

Atleta de ponta, Zé Carlos possui em seu currículo importantes conquistas que enaltecem o Judô do Maranhão e do Brasil.Disciplinado e focado nos treinamentos, o judoca maranhense prepara-se para mais um desafio:em Janeiro de 2012 participará de um treinamento em São Paulo, a convite do Pinheiros, no intuíto de ser avaliado pelo clube paulista para uma possível contatação.Esta semana, Zé participá do treinamento com o técnico da seleção de base,Fúlvio Miyata, na academia Viva Agua que começa hoje, na Acão / Viva Agua


O treinamento com o judoca Fulvio Miyata, técnico da seleção brasileira sub 17.

Atualmente radicado no Rio de Janeiro, onde atua como um dos técnicos do projeto Reação, o judoca paulista é famoso por suas atuações extremamente técnicas, durante sua vitoriosa carre
ira como competidor.


Os profesores Marco Leite, Bernardo leite e Bernardo Leite Júnior recepcionaram o sensei Fúlvio que já se encontra em São Luis para ministrar curso técnico de 27 a 29 , a partir das 19 hs, na Viva Agua.

Todas as academias de Judô estão convidadas a participar.

JULIO PUDIM; EXEMPLO DE FORÇA DE VONTADE!!!





Júlio Pudim eu tive a oportunidade de conhecer em Brasília, em 1.989 numa época que o Gilberto Salomão era o palco da noite da capital federal, aonde os playbois se misturavam com os nerds, com os malhadores e os praticantes de Artes Marciais.
Junte a tudo isso uma fogueira de vaidade imensa, um monte de filhos de autoridades achando que são autoridades também e no meio disso tudo nós, os seguranças.

Sim eu ja fui segurança de boite em Brasilia, pois a renda da segurança era para comprar a suplementação para ficar grande, na verdade ENORME, pois na época eu trabalhava na academia STATUS na Norte que era de um Coronel reformado e do Judóca Anelson Guerra, e era um forasteiro, mas Julio Pudim, casca grossa respeitado e querido, irmão do Sandro, esse muito temido na época, me adotou como amigo, e sempre que chegava no Gilberto ja perguntava: "ja comeu irmão
?" e tratava de me mandar em uma das lanchonetes que ele tomava conta e eu matava a fome.

No final da noite cheia de stress, stress mesmo, o cara ainda me dava carona e me levava do outro lado da cidade no seu fusquinha, sem saber quem eu era e eu sem nada ter em Brasilia, fui morar em Brasilia por não aguentar mais a vida de cidade pacata que na época eu vivia em São Luis.

Pudim foi um dos primeiros caras a treinar Jiu-jitsu em Brasilia, aluno do Banni, um casca grossa da pesada, formou alunos e sempre trabalhou com e para os esportes de luta.

Um dia Pudim foi vítima da violência, uns merdas assaltaram Pudim e ele reagiu, acabaram baleando o casca grossa que ao dar entrada no hospital alguns médicos inclusive não deram a mínima esperança para ele, mas se tratava do Pudim meu caro, um casca grossa de verdade, um cara de uma força de vontade absurda, meses e meses numa cama de hospital, deitado, sem poder se mexer pra nada não tirou a sua esperança de voltar a conviver em meio ao que mais gosta, e assim Pudim o fez, está de volta, podendo acompanhar amigos, parceiros e alunos nos treinos, ain
da que sentado, e que vitória, para aquele que alguns especialistas acreditavam nunca mais daquela cama levantar...Pudim é fera!!!

Ja recebeu e recebe o carinho de todos, foi justamente homenageado num evento de MMA em Brasilia e ta ai.

A minha dica é; procurem o Pudim para aprender, seja sobre Artes Marciais e como a arte de não se render na vida.

Pudim meu irmão; casca grossa é você!!!





Olivar Leite.

ERALDO PAES: OBRIGADO!







Conhecí Eraldo Paes treinando, na BTT em 2.005.

Dos treinos na AABB aos almoços e aulas particulares até o RIO F.C. organizado por ele com produção de Sérgio Cunha, nos tornamos amigos de verdade, confidentes e de conversas longas, hora em direção a Tijuca, hora em direção a Barra.

Eu apresentei o primeiro evento que Eraldo organizou de MMA, assim como várias outras edições, quando Eraldo sofreu o primeiro golpe ao saber do cãncer fui um dos que tomou a frente a campanha FORÇA ERALDO, e não poupei esforços em fazer de tudo para ajudar dentro da minha pequena capacidade na época no Rio, mas recebi dele, da sua esposa e de sua irmã o carinho e a amizade pra sempre.

Eraldo foi lutador, um grande lutador de Submission e lutador de MMA, mas o que Eraldo realmente sabia fazer era dar aulas de luta, seja a pura e verdadeira Luta Livre as aulas de MMA Eraldo era um craque.

Tive a alegria de anunciar uma das suas lutas em Submission e a alegria de conviver com esse ser humano de coragem, que mesmo portador de um câncer eu nunca o ouvi lamentar, choramingar pelos cantos, pelo contrário estava sempre falando que queria conversar comigo sobre um novo projeto.
Amava muito a mulher e filha e amava seus alunos como filho, respeitando as decisões de cada um deles, de mudarem de equipes, de treinarem com outras pessoas, mas sempre os mantinha como amigos e eternos alunos.
Quando a BTT passou por um processo complicado de ruptura, foi Eraldo Paes que la estava ao lado de Murilo para tocar os treinos e manter a equipe unida, sempre com palavras de incentivo e de confiança a alguns que ficaram inseguros com a saída de grandes estrelas, eu presenciei por várias vezes ele falar: " agora é a vez de vocês, vamos treinar para estarmos preparados para as oportunidades que vão aparecer"

Mandando minhas mensagens de Feliz Natal aos meus amigos do Rio, tive como retorno do Cido o seguinte questionamento: "você soube do Eraldo?" - e foi assim que eu soube da triste notícia, mas fica aqui o meu muito obrigado ao que Eraldo Paes fez pela luta, por lutadores, por amigos, por professores e familiares, obrigado Eraldo!!!
Nós te amamos!!!



Olivar Leite.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

GLOVER: O CALDO VAI ENGROSSAR!!!!!!


Toda vez que sou perguntado sobre qual o atleta brasileiro que tem mais chance de figurar entre os top five do UFC que ainda não tem contrato assinado com a organização sempre respondo o mesmo nome: Glover Teixeira!

Glover aonde bate não nasce cabelo, tem uma mão forte, muito pesada, tem um excelente Wrestling e é faixa preta de Jiu-jitsu de fato.

Hoje tive a grande noticia, um presente de natal, Glover teve o seu visto aprovado e vai poder entrar nos E.U.A. tranquilo e poder pleteiar uma chance no maior evento do mundo e garanto a vocês, o caldo vai engrossar!!!

Quem tiver dúvida, asiste ai os "próximos capítulos" e garanto a vocês, a categoria até 93 kg vai sair fogo!!!

Glover, parabéns irmão, chega com o pé na porta!!!
Pedro Rizzo, galera da Soul Fighter, galera da Delfim, galera da Nobre Arte: é nós!!!!


Olivar Leite.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

OVEREEM: COMO VAI SER?????





Para fechar o ano com chave de ouro o maior evento de MMA do mundo, o UFC deixou para o reveillon uma luta entre pesos pesados.

Não se trata de simples pesos pesados, melhor dizendo, de pesos pesados "naturais" e sim de dois verdadeiros monstros em se tratando de tamanho (volume muscular + altura).

Recém saido do STRICKEFORCE, Alistar Overeem após desentendimentos com a organização abandonou seu título de campeão do evento e foi convidado para fazer parte do grupo seleto dos pesos pesados do UFC e em sua luta de estréia vai pegar de cara Brock Lesnar que outrora era um simples grandão proveniente da marmelada e que acabou se tornando campeão do UFC com pouquíssimas lutas, que como qualquer atleta de ponta, correu atrás, criou uma equipe forte que tem entre seus membros nosso querido Rodrigo Comprido e toda a estrutura exigida para qualquer atleta de alta performance que é exigido para fazer parte do cast do UFC.
Ambos hoje usam antes do seu nome nas suas apresentações a palavra FORMER.

Quem acompanha o esporte da época do PRIDE lembra de grandes lutas de Overeem contra os brasileiros Vitor Belfort, Rogério Minotouro e Mauriccio Shogun, detalhe, na categoria meio pesado, até 93 kg.

Overeem passou por alguns ciclos de produtos de primeira geração e se tornou um peso pesado, com um volume e densidade muscular impressionantes, e o que eu mesmo sempre costumei dizer sobre a subida excessiva de peso fazer com que o lutador caia de produção, tenho que engolir essa minha teoria pois Overeem se encontrou na categoria pesado, ele se tornou forte mas em contra partida se to
rnou muito rápido, muito explosivo para a categoria e não perdeu o que ele sempre teve de melhor que é a sua origem, o seu jogo de Muay Thai, a prova disso é que ele lutou e venceu tratorizando grandes ícones do esporte o GP do K1 dos pesados do ano passado, ele arrebentou nesse torneio!

Overeem se reinventou na categoria pesado, está mais inteligente, é um lutador mais experiente, vem com tudo, mas enfrenta um lutador que tem o antídoto do seu jogo, afinal Brock coloca pra baixo e martela, é o que sabe fazer muito bem, mas vem de uma fase complicada de recuperação da sua saúde, vamos ver...



Detalhe, assim como vários nomes do PRIDE que vieram para o UFC e que não conseguiram a mesma performance pelo fato de não poderem "sentar o pau" nos produtos, fica a minha pergunta:




o que Overeem vai fazer com a Comissão Atlética e seu anti doping???



É papai!






Olivar Leite.



terça-feira, 20 de dezembro de 2011

MÁURI DE CARVALHO; ARTIGO.


Revoltado com uma situação que considero desonesta, proveniente de tudo aquilo que realmente uma filosofia bem empregada das Artes Marciais condena, resolvi pedir para que meu amigo/irmão/camarada Máuri de Carvalho escrevesse sobre, já que eu não tenho a mesma capacidade que o mesmo, mas como eu, sei que comunga da mesma indignação contra aqueles que fazem crianças em plena fase de crescimento, perderem peso de forma agressiva e brutal para seus organismos, apenas para conseguirem medalhas, conquistas efêmeras, breves, logo esquecidas, mas que deixarão sequelas físicas e pisíquicas para toda vida.
Leiam abaixo o excelente artigo do Doutor Máuri de Carvalho:




JUDÔ: ENTRE A EDUCAÇÃO E A ABERRAÇÃO
Máuri de Carvalho

Professor de Judô e de Educação Física do Centro de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Espírito Santo. Doutor em Filosofia e História da Educação – Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas. Pós-Doutorado em Filosofia e História da Educação – Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas. Pesquisador vinculado ao Grupo de Estudos e Pesquisas História, Sociedade e Educação Brasileira – HISTEDBR da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas.


INTRODUZINDO A POLÊMICA

Enquanto profess
or de judô e acadêmico gostaria de me manifestar sobre um fenômeno hediondo que vem acontecendo no judô brasileiro com alguma freqüência que desafia o bom senso e o compromisso dos professores de judô e pais com o desenvolvimento integral dos seus alunos e filhos.
Na verdade, penso que tal fenômeno poderá se tornar-se recidivo ser apontado como um caso de polícia, pois se trata da promoção do abuso de crianças para afirmar as academias no cenário estadual, regional e nacional, ou, simplesmente, para manter o emprego de professores incompetentes que só se sustentam na profissão com o sacrifício dos infantes.
Estou falando do hediondo fenômeno da perd
a de peso forçada de crianças, estou dizendo crianças ainda em estágio de crescimento e desenvolvimento, tanto física quanto intelectualmente. Tais crianças são ensinadas desde cedo que a vida é uma eterna trapaça à medida que ela por intermédio

Que homens estamos querendo formar com o judô, corruptos, mercenários, trapalhões, imbecis para quem o competir e o levar vantagem em tudo é o sacrossanto objetivo a ser alcançado? de um artifício prejudicial à sua saúde pode competir numa categoria logo abaixo da sua, para tanto basta perder uns quilinhos que serão repostos depois da pesagem.
É preciso apontar sobre qual concepção de mundo e de educação os professores de judô agem: será que para eles o judô enquanto educação é um instrumento no jogo da reprodução das idéias dominantes de uma época, reprodução do modo de vida da burguesia; ou será que para eles o judô é um lócus pedagógico onde
podem e devem circular idéias voltadas à resolução das contradições materiais e sociais da sociedade brasileira?
E por que perguntamos? Porque diante dessa ambigüidade, o judô como meio de educação é indispensável à transformação estrutural da sociedade brasileira.
Postas as primeiras palavras, penso que competições infantis nas quais crianças são tratadas como adultos em miniaturas, foram / são determinada por decisões políticas que agridem o pensamento de Jigoro Kano Sensei para quem o judô deveria assumir a condição de Seyrioku no’zenyo kokumin taiku, isto é, um Método Nacional de Educação Física voltado para o desenvolvimento físico, intelectual e moral dos judocas.
Ignorando o espírito do judô assentado por Kano Sensei, os arquitetos de competições infantis e os que preparam crianças par
a competirem como pequenos gladiadores colocando em risco sua integridade orgânica e deformando seu desenvolvimento intelectual, a rigor, é uma gente que faz uso da mais absurda troca de favores parta na mais dantesca ignorância.
A competição infantil. Bem este tipo de evento não leva em conta o desenvolvimento morfofisiológico, o desenvolvimento do caráter e a formação técnica das crianças. Evidente que a introdução precoce das crianças no mundo da competição (mundo dos adultos que na cidade do capital são, grosso modo, frustrados) é uma forma

Tenho um filho com 20 anos de idade, faixa marrom, e uma filha com 15 anos, faixa laranja, como pai, ex-atleta e professor de judô, jamais fui convidado pela federação à qual meus filhos são federados para participar de uma reunião entre pais e professores de judô para discutir dois problemas cruciais ao desenvolvimento da personalidade infantil: (1) a competição precoce e (2) a absurda redução de dizer a elas, as crianças, uma grosseira mentira, que a competição é um aspecto inerente da (suposta) natureza humana, enquanto, de verdade, usam o judô tornado competitivo como meio para incutir desde muito cedo, na criançada, a desregrada regra que rege as sociedades capitalistas. Vale a máxima: o trapaceiro é educado na trapaça ainda em idade precoce.
hídrica e eletro
lítica ou redução forçada do peso de determinadas crianças para se inscreverem numa categoria abaixo. Este um gesto de trapaça que deveria ser repudiado por pais, professores e dirigentes, mas ao que consta encontra guarida nestes três seguimentos, pois o que importa é: vencer ou vencer!
É um erro escandaloso dizer que a crítica sobre as conseqüências negativas da competição precoce não acrescenta nada à medida que, supostamente, não teria suporte na pratica e na teoria.
Ora, considerar que a crítica nada acrescenta é assumir um tipo de compreensão s
obre a questão da teoria e da prática, com a qual se procura apontar a crítica, toda crítica, como abstração sobre o nada, o vazio, no melhor das hipóteses, sobre o imaginado, enfim, é demonstrar nada saber sobre o judô.
As críticas elaboradas pelos acadêmicos que conheço, bom dizer que todos ligados ao judô antes de serem acadêmicos, portanto, vivenciaram a prática social do judô, têm por base relações sociais objetivas praticadas no interior do Do-jô. A meu juízo, todos eles entendem que a crítica séria e fundamentada à competição precoce incomoda, informa e suscita mudanças. Portanto, deixar de criticar é afirmar o que está posto como inexorável.
Um educador que se preze tem a teoria construída a partir de sua própria prática na sociedade e no interior do “do-jô” como ferramenta indispensável ao ensino do savoir-faire, da história e dos fundamentos filosóficos legados a todos nós pela milenar cultura japonesa e pelo Shihan Jigoro Kano Sama. Sem teoria crítica não há prática crítica. Sem teoria não há judô, mas apenas um amontoado sem nexo de técnicas de projeção, imobilizações, etc., sem origem, sem causa, sem fundamento.

A ABERRAÇÃO NO JUDÔ

É lamentável dizer, embora fosse esperado, mas a era do judô em que vivemos é o momento dos dirigentes que se refestelam com as migalhas legadas e atualmente lançadas por dirigentes inescrupulosos.
Estudos revelam a presença no judô da prática de perda de peso em judocas infantis e adolescentes, embora esses mesmos estudos não considerem a possibilidade de exercitarem a crítica a tais práticas certamente negativas ao crescimento e desenvolvimento dos judocas.
O modelo de competições infantil no judô adotado neste país e que divide os participantes em categorias de peso abre a possibilidade da prática de diminuição de peso como burla ou trapaça para
fazer com que uma criança entre 09 e 10 anos de idade do sexo masculino com 52,5 quilos de peso corporal total, portanto, na categoria pesado, participe, com a redução
forçada de 2,5 quilos, da categoria meio pesado. A burla, a trapaça ocorre quando esta criança retorna ao seu peso inicial e participa da categoria inferior.
Sem medo de controvérsia é possível considerar que esse modelo é potencialmente danoso para o desenvolvimento global das crianças. Neste caso vale a pergunta: por que os responsáveis, pais, professores e dirigentes permitem tal prática e não propõem tomar uma atitude que não apenas minimize, mas, sobretudo, erradique de uma vez por todas as condutas deste tipo pouco saudáveis e que em nada contribuem para o crescimento e desenvolvimento sadio dos infantes.
A prática da perda de peso forçada em crianças e adolescentes no judô, guardadas as proporções, é verossímil à um estado de desnutrição, neste caso, segundo Golden (1997), citado por Lololo,Cazetto e Montagner, a desnutrição produz um impacto negativo “no crescimento linear, ósseo e cerebral que pode causar danos irreversíveis. O autor ainda ressalta que adolescentes são mais vulneráveis a distúrbios alimentares e às suas complicações” (LOLLO, P. C. B., CAZETTO, F. F. e MONTAGNER, P. C. Aspectos nutricionais da competição de judô em crianças e adolescentes. Departamento de

Há mais ainda. Anos atrás escrevi um artigo intitulado Judô: crítica radical, publicado na Revista Motrivivência, no qual encimado em pesquisas sérias, afirmei que durante atividades físicas intensas, particularmente em dias quentes e úmidos, grandes quantidades de água e eletrólitos eram perdidas pelo corpo através da transpiração, e se a perda hídrica não fosse reposta, poderá provocar desidratação com sérias conseqüências fisiológicas para o desidratado.Ciências do Esporte Faculdade de Educação Física da Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. Disponível em http://www.efdeportes.com/efd74/judo.htm. Acesso em 12 de novembro de 2011).
Mais de vinte anos depois, correndo na contramão dos achados científicos a desidratação forçada de atletas e crianças (um caso de denúncia ao Conselho Tutelar e ao Juizado da Infância) tal prática está se tornando usual no Judô como resultado da perda irracional de peso em crianças antes da pesagem para competições. Há evidências científicas que afirmam que essa perda exerce influência negativa sobre a potência muscular (reduzindo-a), diminui o consumo máximo de oxigênio, especialmente quando há restrição alimentar (perda de peso e / ou desnutrição); diminuição do volume plasmático e sanguíneo; redução da função cardíaca durante atividade submáxima; deterioração da termorregulação; diminuição do fluxo sanguíneo renal e do volume de fluido filtrado pelos rins e aumento da quantidade de eletrólitos pe
rdida pelo organismo.
A desidratação provocada pela alta sudorese guarda ainda estreita relação, em primeiro lugar (na sua forma simples), com a redução da capacidade física e perturbação da contração muscular, e, em segundo lugar (na sua forma aguda), resulta em instabilidade circulatória que poderá alterar o funcionamento cardíaco diminuindo o fluxo sanguíneo cerebral resultando em lipotimia (perda brusca de consciência, desmaio).
Mesmo diante de todas as evidências calçadas no conhecimento científico a prática de redução forçada do peso corporal de crianças como condição de sua participação em competições de judô tornou-se perigosamente usual e fraudulenta, pelos motivos expostos acima. O judô foi transformado em espetáculo competitivo propiciando entre outras coisas o contato dos professores com a nutrição. Acontece que professores portadores de certo conhecimentos científicos incorporaram informações não científicas, imprecisas e danosas ao organismo infantil.
Vinculados a política do levar vantagem a qualquer custo, desconhecem ou fecham os olhos às conseqüências do uso dessas imprecisões científicas, eis
que, ao contrário, saberiam que a nutrição balanceada e sem restrição é indispensável ao bom andamento do processo fisiológico / metabólico da criança, não podendo esse processo ser submetido e sacrificado em ara aos interesses escusos e mesquinhos de professores e dirigentes oportunistas egoístas que atuam diária e diretamente com judocas infantis.

CONSIDERANDOS FINAIS

A competição é marco teórico paradigmático da sociedade capitalista, cujo fundamento é a dinâmica infra-estrutura econômica. A competição está disseminada nas demais atividades, chegando mesmo a impregnar as relações amoras e amigáveis, e todas as relações sociais. Destarte, sob a égide de lucro a qualquer custo a competição tornou-se um problema para todos na cultura capitalista, e não raro tornou-se foco incontornável de conflitos.
Estudos demonstram que a participação precoce em competições, quando o valor da vitória é exacerbado dando-se no em um ambiente cheio de contenções morais e de abominável temor pelo possível fracasso, torna-se um óbice à elaboração madura de situações críticas da vida e paralisação ritualizada e inconseqüente da gênese do pensamento dialético. Mais ainda. Conduz as crianças à imobilidade e ao bloqueio da integração da personalidade, resultando em perda da autonomia e da serenidade alcançadas quando a realização pessoal é conseqüência do exercício da liberdade real, ou seja, da equânime relaçã
o social estabelecida entre os homens (MOFFAT, A. Psicoterapia do oprimido. São Paulo: Cortez, 1984).
Se o conhecimento da área biológica (fisiologia e nutrição) é relevante para o professor compreender como acontece o crescimento e desenvolvimento de crianças que praticam judô, não menos relevante é o estudo e a compreensão das determinantes políticas e econômicas que manipuladas por alguém sem escrúpulos se sobrepõe à saúde física e mental na prática do judô que deveria ser saudável, mas que se torna perniciosa à criançada nela envolvida.
Se o conhecimento sobre nutrição é de grande valia para o desenvolvimento do processo educativo no judô cujo objetivo deveria ser a máxima de Jigoro Kano, Seiryoku-zen’yo-kokumin-taiiku, então o conhecimento apurado sobre a história, filosofia e pedagogia é da máxima importância à formação do professor cuja prática pedagogia deveria estar direcionada à implicação do judô como método de educação física baseado no princípio da eficácia máxima, da prosperidade e benefícios mútuos. Tal método estaria direcionado à formação física, intelectual e, sobretudo, moral, ou seja, o objetivo é o desenvolvimento multifacetado dos judocas desde a mais tenra idade.
Neste quadro ter-se-ia somados aos efeitos benéficos da atividade física e da alimentação saudável a intelectualização dos judocas como importantes alimentos intelectuais. Esta soma é o suporte necessário a formação do guerreiro moderno por intermédio do judô.
Por fim, é urgente a feitura de uma nova modelagem de torneios e campeonatos de judô para crianças na qual o alvo deve ser a experimentação e a confraternização. Experimentação significa colocar em prática ou testar o que foi ensinado / apreendido nas aulas de judô e desprovido do caráter competitivo estimulado por professores ineptos. A confraternização ou Bonenkai ou um Shinenkai, o primeiro é um evento de encerramento do ano no qual são comemoradas as realizações individuais e, especialmente as coletivas, enquanto o segundo é um evento que acontece no início do ano realizado para dar boas vindas ao ano que chega e comemorar o reencontro com os amigos.
Todavia, considero que essa nova modelagem será eficiente como meio de democratização da prática do judô, fortalecimento dos laços de amizade e, mormente, resgate do judô como importante meio de educação ética e estética e formação intelectual de todas as pessoas ligadas a esta arte de enfrentar criada por Jigoro Kano Sama.

JAIRO VIDAL: TRABALHO FORTE EM PROL DO JIU-JITSU!







Jairo Vidal de Abreu, o Jairo como é mais conhecido o professor de Jiu-jitsu de Manaus radicado em São Luis e que vem fazendo um trabalho continuo com a Arte Suave.
Jairo tem feito a sua parte, dando aulas, promovendo eventos, liderando a Federação de Jiu-jitsu mais ativa do Estado do Maranhão e o que é mais bacana, prestigiando as outras competições.

Jairo no dia 18 passado fez a sua já tradicional festa de fim de ano, com a graduação dos seus pupilos e depois almoço pra galera confraternizar.

Muito dos seus alunos foram graduados, muita gente feliz e é bom lembrar que Jairo desenvolve um trabalho com uma galera que não é abastada e que como todos os cantos em que eu viajo por esse Brasil, tem gente com talento e que merece um apoio melhor, um patrocinio, para que não percamos futuros campeões mundiais para a correria e necessidade do dia a dia.

Fica aqui o abraço no professor Jairo e o nosso parabéns!!!



Olivar Leite.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

FAMILIA LEITE ESPERA MESTRE FÚLVIO MIYATA.




Após apoiar o SPARTAN MMA, evento promovido por Olivar Leite e Victor Telles, a Academia Ação / Viva Agua sob o comando do sensei Marco Leite, realizará mais um grande evento na área de lutas.


Desta feita, nossos professores recebem o renomado judoca Fúlvio Miyata, técnico da seleção brasileira sub 17, para um curso na Viva Água, nos dias 27,28 e 29 de Dezembro, ás 20:00h.

Quem promete marcar presença por lá é a família Leite, tradicional na modalidade de lutas, especialmente no Judô.

Todas as academias de judô estão convidadas a participar!

WOCS: WENDEL E BAIXINHO DÃO SHOW!!!





O Watch Out Combat Show encerrou suas atividades em 2011 com um evento de alto nível.
Foram quatro lutas no card amador e oito lutas profissionais que sem dúvida sacudiram a Barra da Tijuca. O evento iniciou com a vitória de Leonardo Felix por decisão dividida na categoria amadora.
Vale lembrar que esta categoria possui 2 rounds de 3 minutos além do uso de capacete e caneleiras nos atletas.
Obviamente, isso não diminui o nível de competitividade dos atletas, com forte destaque para Thiago Araújo que teve um desempenho soberano na sua vitória contra Cristiano Junior, dominando por completo a luta e vencendo na decisão.
No card profissional, várias lutas merecem destaques. Na primeira delas Otto Jasse venceu José Claudio com um triângulo de mão muito bem encaixado.

A luta durou 1 minuto e 2 segundos e marcou uma boa vitória do estreante, que é atleta da Infight.

A quarta luta da noite mostrou um grande potencial por parte de William Patolino (PEJOR), que mostrou mãos pesadas e forte imposição de sua tática ao vencer por TKO o atleta Roger Berger ainda no primeiro round. Segundo o Sherdog, o atleta segue invicto com um cartel - agora - de 4-0-0. Patolino começa a mostrar que merece vôos maiores em sua categoria (77 kg).

Logo após a atuação de Patolino, mais uma grande luta marcou o WOCS 17: Thiago Marreta, atleta da TFT, venceu no terceiro round Enéias Souza - Relma Team - com um forte mata-leão. A luta começou com domínio de Marreta, mas no segundo round Eneas reagiu bem, encaixando bons golpes no atleta, que se reestabeleceu e buscou a finalização no terceiro round.

O evento também marcou a presença de um atleta do Bellator Rodrigo Ratinho(TFT/POCHET) enfrentou Denilson Silva (BPT) numa luta marcada pela agressividade antes mesmo da pesagem.

Os atletas, que protagonizaram uma foto de testas coladas na Sexta-Feira, trataram logo de proporcionar ao público uma luta bem agressiva. Quem levou a melhor foi Ratinho, que venceu por TKO ainda no primeiro round, após vários socos, mostrando um sólido jogo de GNP.

Wendell Negão (Mangueira Team) teve ótima atuação contra Rafael D’Alseco, tratorizando o adversário aos 2 minutos e 2 segundos do primeiro round. Rafael sofreu um golpe no nariz que o abalou no restante da luta, viabilizando a vitória de Negão, que vai evoluindo cada vez mais seu jogo no cenário nacional. O atleta já busca oportunidades internacionais.
Na última luta da noite, Alexandre Baixinho venceu o argentino Fávio Martino no duelo internacional do evento.

Martino (TEAM GOA) foi orientado por uma agitada equipe. Ainda no primeiro round, ao sofrer tentativa de queda por parte de Baixinho, Martino teve seu joelho deslocado em uma séria lesão que impossibilitou qualquer tipo de reação. Baixinho usou o jogo de GNP, forçando o árbitro a encerrar a luta. O argentino saiu de maca do evento e teve que se submeter a exames mais minuciosos, dada a gravidade da lesão.

O evento serviu para mostrar que 2012 será um ano muito forte no WOCS. Além da criação do ranking e da volta dos GPs, vemos que surgem bons talentos para o MMA nacional. Há um grande fator positivo nessa situação, que é a valorização do trabalho de todos os envolvidos no evento. Não pisque! O WOCS em 2012 promete.
Lutas Amadoras
66 kg Leonardo Felix (TFT/Índio) venceu Washington dos Santos (Celeiro) Por Decisão dividida.
61 kg Paulo Nicolas (Senna/Caverna)venceu Douglas Silva (TFT/Pochet) Por finalização Mata-Leão.
66 kg Thiago Silva (Infight) venceu Cristiano Junior (Relma) por decisão unânime.
61 kg Luiz Mikimba (Brazilian Fight) venceu Jonatan Cabelinho (TFT/Pochet) por desclassificação, golpe ilegal.

Lutas Profissionais
70 kg Otton Jassé (Infight) venceu Jose Claudio Vieira da Silva (Relma) Por finalização triangulo de mão aos 1:02 do 1º round.
56 kg Pablo dos Santos (Brazilian Fight) venceu Magno Alves “Pirulito” (Honório JJ) por finalização Mata-Leão aos 2:27 do 1º round.
75 kg Denis Figueira da Silva (Relma) venceu Nyzio Freitas (GBCT) por decisão unânime dos juízes laterais.
77 kg Willian Patolino (Pejor) venceu Roger Berger (PRVT) por nocaute técnico aos 2:40 do 1º round.
77 kg Tiago Marreta (TFT) venceu Enéas de Souza (Relma) por finalização, Mata-Leão aos 2:52 do 3º round.
63 kg Rodrigo Ratinho (TFT) venceu Denison Silva (BPT) por nocaute técnico aos 2:39 do 1º round.
77 kg Wendel Negão (CCT) venceu Rafael D’Alseco (Cicero Team/MG) por nocaute técnico aos 2:02 do 1º round.
75 kg Alexandre Baixinho (Carlson Gracie/ Ari Galo) venceu Fávio Martino (Team GOA/ARG) nocaute técnico aos 3:38 do 1º round.

Texto: SITE ONE ROUND.

WFE11: WILSON REIS É O DONO DO CINTURÃO.




Em grande noite, Wilson Reis conquista cinturão do WFE Platinum

Por Eder Ferrari
Foto Lucio Tavora


Problemas superados pela mudança de boa parte do card em cima da hora, o WFE Platinum #11 mostrou duelos equilibrados, mas, no duelo principal, consagrou a técnica de chão de Wilson Reis. Explosivo e mais experiente, o paulista buscou o chão desde o início e, após minutos de muita movimentação, pegou o baiano Bruno Menezes com um mata leão. Empolgado com o feito, Wilson agradeceu ao evento pela oportunidade de lutar pela primeira vez no Brasil.

Antes disso, o que se viu foi muito equilíbrio. Na primeira luta da noite, Yuri Moura e Wanderson Sertão fizeram um duelo muito duro, porém, mais consistente, o primeiro levou a melhor na decisão unânime. Em seguida, também elétricos, Rafael Sobral e Newton Cachorrão fizeram um grande combate com muitas alternativas. Com o jogo solto em pé, Sobral castigou, levou para o chão e, por muito pouco, mochilado, não pegou no mata leão. Após sobreviver, Cachorrão voltou mais agressivo e acertou bons golpes e levou a melhor. No último round, Sobral foi melhor, mas, uma cabeçada, o fez perder um ponto que lhe custou a vitória. No final, os árbitros decretaram o empate.

A primeira finalização da noite veio na terceira luta. Após dez minutos mornos, com pouca ação, no último round, Leleco Guimarães acertou um belo chute alto em Jackson Naco e partiu para acabar o combate. Depois de levar a luta para o chão, Leleco encaixou um mata leão e definiu a luta. No quarto confronto do WFE Platinum #11, Leandro Hygo foi melhor do que Erinaldo Pitbull nos três rounds, com bom jogo de quedas, e venceu por decisão unânime.

Antes da luta principal, no combate que mais mexeu com a torcida, os locais Fernando Almeida e Erick Parrudo dividiram o público e o domínio do embate. Parrudo foi melhor no primeiro round, principalmente por ter, com um mata cobra de direita, conseguido um knock down. Contudo, com melhor gás, Fernando reverteu à desvantagem e levou os dois seguintes, acertando bons golpes e defendendo as tentativas de queda.

RESULTADOS COMPLETOS:

WFE Platinum #11
16 de dezembro de 2011, as 21h
Gran Hotel Stella Maris, Salvador, Bahia

Disputa Titulo Peso Galo
[01] .Wilson Reis [SP] derrotou Bruno Menezes [BA] com um mata-leão a 3m20s do 1R

[02] .Fernando Almeida [BA] derrotou Erick Parrudo [BA] na decisão unânime dos juízes
[03] .Leandro Hygo [RN] derrotou Erinaldo Pitbull [RJ] na decisão unânime dos juízes
[04] .Leleco Guimarães [BA] derrotou Jackson Naco [SE] com um mata-leão a 4m18s do 3R
[05] .Rafael Sobral [BA] empatou com Newton Cachorrão [SE]
[06] .Yuri Moura [BA] derrotou Wanderson Sertão [BA] na decisão unânime dos juízes

PRÓXIMA EDIÇÃO: WFE Platinum #12, em Natal, Rio Grande do Norte. Aguardem!

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

TODOS NO PESO PARA O WFE 11.



Todos no peso para o WFE Platinum #11

Por Eder Ferrari
Foto Lucio Tavora

Colocando em prática algumas inovações, o WFE Platinum realizou a obrigatória pesagem pré-luta nesta quinta-feira (15), no Grand Hotel Stella Maris, em Salvador, Bahia, mesmo local do evento desta sexta-feira (16). Todos os lutadores bateram o peso de primeira, com exceção de um dos desafiantes ao cinturão peso galo, Wilson Reis, que teve de correr atrás das 400 gramas de prejuízo para encarar Bruno Menezes na luta principal do card. Excesso dispensado e lutão garantido!

O clima entre todos os lutadores foi de total respeito e não houve nenhuma encarada mais ríspida durante a pesagem. Nesse meio tempo veio à inovação. Com a presença da imprensa para a tradicional batalha dos lutadores para atingir o peso, a produção de um dos maiores show de MMA do Brasil, apresentou as novas exigências médicas para os atletas, baseadas na comissão atlética que rege o UFC.

Sabatinados pelo diretor médico do evento, Dr. Fábio Costa, todos foram aprovados. “Quanto mais profissional for, mas credibilidade o evento terá e isso dará segurança aos atletas. Queremos preservar e garantir a saúde e o rendimento de todos eles”, afirmou. O WFE Platinum #11 rola a partir das 21 horas.

WFE Platinum #11
16 de dezembro de 2011, as 21h
Gran Hotel Stella Maris, Salvador, Bahia

Disputa Titulo Peso Galo
[01] .Bruno Menezes [BA] vs. Wilson Reis [SP]

[02] .Fernando Almeida [BA] vs. Erick Parrudo [BA]
[03] .Leandro Hygo [RN] vs. Erinaldo Pitbull [RJ]
[04] .Leleco Guimarães [BA] vs. Jackson Naco [SE]
[05] .Rafael Sobral [BA] vs. Newton Cachorrão [SE]
[06] .Yuri Moura [BA] vs. Wanderson Sertão [BA]

* Fight Card sujeito a alterações

Ingresso Pista
.Feminino R$40,00
.Masculino R$80,00

Mesa p/ 6 pessoas
.Platinum ALL INCLUSIVE ### ESGOTADO ###
.Cage Side [1L Whisky 8 Anos] R$800,00
.Backstage ### ESGOTADO ###
.VIP R$500,00

Solicite o mapa de mesas e faça a sua reserva:
.71.3431.3100 | 71.9244.3853 | 71.7812.9693 | 55*97*27840 | vip@wfeplatinum.com.br

Pacotes com Hospedagem no Gran Hotel Stella Maris Resort & Convention
.Reservas: 71.3413.0061 | 71.3413.0000 | vendasstella@solexpress.com.br

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

FÚLVIO MIYATA EM SÃO LUIS.


"Professores,

O renomado Judoca Fúlvio Miyata ,técnico da seleção da seleção brasileira sub 17, estará em São Luis a convite do Dr. Ney Bello em parceria com o sensei Marco Leite, com a ciência do presidente da FMJ.
Para recepcioná-lo, estamos convidando todas as academias a participarem do treinamento nos dias 27,28 e 29 de Dezembro na academia Ação/Viva Agua, ás 20:00h.
Aguardamos sua confirmação via email com listagem de participantes preferencialmente do sub 17 em diante.


Att,


Sensei Marco Leite

CFA!




Miami, Florida. – All good things must come to an end and on December 17th it will be the end of our epic lightweight tournament. What started as eight warriors entering into the cage in July will end at CFA 04 with only one remaining undefeated and becoming CFA’s inaugural lightweight champion. Come watch live as finalist Patrick “Lights Out” Cenoble, who has dominated on his way to the finals, defeating 7 of his last 8 opponents by KO or TKO, faces hometown favorite Yoislandy “Cuba” Izquierdo, who believes he has a date with destiny, “I thank God I made it to the finals where I will be fighting a great fighter in Patrick,” Izquierdo continued “[but] I am prepared to obtain the victory.”
But before you watch the ultimate victor of the lightweight tournament walk away with a $20,000 prize, the combatants in the co-main event of the night are looking to move one step closer to their own $20,000 prize. Local heroes Danny “The Columbian Warrior” Chavez and Joey “The Real Deal” Rodriguez face each other in one half of the quarter-finals of the featherweight tournament and their pre-fight banter promises an exciting fight for everyone present. “Look I respect you as fighter, but you’re standing in my way, on my road to glory, and no one is stopping me,” Rodriguez told Chavez after one particularly heated exchange, “[l]et's make this fight one to be remembered!!!” To which Chavez responded “I’m down, so let’s stop the talking and let our actions speak for themselves”.
The other half of the electrifying undefeated featherweight tournament pits Jordan “Pretty Boy” Parsons against James “Humble Pie” Cianci. While Cianci has lived up to his name, Parsons has made proclamations that are sure to turn this hotly contested fight personal. “I’m feeling it,” Parsons recently said, “[h]is mom weeps for his safety because even she knows he’s not ready.”
Outside of our highly anticipated undefeated tournament fights at CFA 04, Championship Fighting Alliance also hosts the return of CFA featherweight champion, Luis “Baboon” Palomino as he begins his quest to get the recognition and exposure he deserves as one of the best fighters in his weight class. Baboon who has won almost half his fights by knockout will be facing a dangerous opponent in Charles “Krazy Horse” Bennett. Bennett, fighting in mixed martial arts for over a decade and a veteran of PRIDE, King of the Cage and Elite XC, has notable wins over PRIDE veteran Yoshiro Maeda and Strikeforce veteran K.J. Noons, and is looking to add Palomino to his resume. “I just want to fight! I’ll play to the cameras after the fight… until then I’m going to let my hands do the talking!”
And no CFA show would be complete without the heart-pounding action provided by South Florida favorite, Mike “The Wolverine” Rio. Like his namesake, Rio was a powerful predator at CFA 03 pouncing on his opponent Zach “Juice” Juusola and ending the fight in the first round by TKO. Rio looks to bring that performance to CFA 04 against northeastern mixed martial arts veteran John Ortolani. Ortolani brings his own fire power to the fight having won more than 60% of his fights by KO/TKO and looks to break Rio’s winning streak, “I’m going to try and knock him out.”
Time is running out for you to get your tickets for CFA® 04! Seats are going fast, so get yours while they are still available. Tickets are priced at $35 General Admission, $45 Reserve Seating, $55 Floor Seats, and $150 for VIP Table Seating and are currently on sale at the BankUnited Center box office and online at CFAFights.com or Ticketmaster.com. For more information please call (305) 520-5574.
CFA 04 - PRESS CONFERENCE
Where: Bongos Cuban Café - 601 Biscayne Boulevard Downtown Miami, FL 33132
When: Thursday, December 15th, 2011 at 11:00 AM
CFA 04 - WEIGH INS
Where: Miccosukee Resort and Gaming - 500 Krome Avenue, Miami, FL 33194
When: Friday, December 16th, 2011 at 5:00 PM
CFA 04 PRESENTS-
Who:
Yoislandy Izquierdo vs. Patrick Cenoble in the lightweight tournament finals
Danny Chavez vs. Joey Rodriguez in the featherweight tournament quarter-finals
Jordan Parsons vs. James Cianci in the featherweight tournament quarter-finals
Luis “Baboon” Palomino vs. Charles “Krazy Horse” Bennett
Mike Rio vs. John Ortolani
Where:
BankUnited Center
1245 Dauer Drive Coral Gables, FL 33146
When:
Saturday December 17th, 2011
Fights start at 7:00
Championship Fighting Alliance
www.cfafights.com

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

ELY KICKBOXING FATURA SUL AMERICANO.


Equipe Ely Kickboxing fatura no Sul-Americano


Os atletas da Equipe Ely Kickboxing MMA/BH voltaram do 7º Sul-Americano, que aconteceu de 9 a 11 de dezembro, em Assunção, no Paraguai, com as malas cheias de troféus, medalhas e muitas vitórias para colocar no cartel de lutas. Todos os cincos lutadores da equipe ocuparam o primeiro lugar no pódio dos vencedores. No total, seis atletas representaram o estado mineiro no campeonato. Cinco deles da Ely Kickboxing e mais um atleta da Equipe Cia Fight, de Divinópolis.

O Brasil conquistou 95 medalhas de ouro e o primeiro lugar na classificação geral do Sul-Americano pelo 7º ano consecutivo. Em segundo lugar, ficou a Argentina com 23 medalhas de ouro, seguido pelo Chile com10 medalhas, e Paraguai com 8 medalhas de ouro. Segundo o dirigente da Equipe Ely Kickboxing, Thiago Michel, cerca de 300 atletas - 70 deles brasileiros - representaram seus países na competição, entre eles, Argentina, Chile, Peru, Uruguai, Brasil e o país que sediou o evento, o Paraguai.

Alisson de Angellis, além da surpreendente vitória nas finais contra o brasileiro Alessandro “Da Lua”, também recebeu o troféu de melhor atleta do evento na modalidade de K1. Para chegar ao confronto final, Alisson teve primeiro que vencer o desafiante argentino, Miguel Campora. Nas finais, subiu ao ringue com um velho conhecido, o paranaense Alessandro “Da Lua” Alves. O confronto era esperado, já que os atletas se enfrentaram na Copa Brasil, seletiva para o Sul-Americano. A vitória de Alisson sobre Da Lua, aos 35 segundos do 2º round, por nocaute, reafirmou a supremacia do mineiro na modalidade.

As disputas para os atletas da Equipe Ely Kickboxing começaram no dia 9, sexta-feira, com Jéssica Kelly vencendo no Light e Full Contact. No Light, Jéssica enfrentou uma dura peruana. Rápida, a brasileira se movimentou muito no tatame e com contra-ataques certeiros acabou vencendo por 3 a 0. Em seguida, Gustavo Alves venceu o seu primeiro atleta argentino, Neri dos Santos, na semifinal do Light Contact em uma disputa apertada. Na final, venceu de novo outro argentino, Alex Romero, com uma incontestável vitória por 3 a 0.

Os argentinos estiveram sempre no caminho dos mineiros nas disputas do Sul-Americano. No sábado, dia 10, foi a vez de Rafael Spin encarar o portenho Martin Scuadrito, desta vez no Full Contact. Spin começou dominando inteiramente a luta, desferindo golpes certeiros no abdômen do oponente, depois de uma sequência de chutes e socos, chegando a vitória por nocaute técnico, no 3º round. Lucimar coleta foi campeão no Light Contact e vice-campeão no Low Kick.

Alisson de Angellis e Lucimar coleta fizeram as lutas principais e de encerramento do Sul-Americano que foram transmitidas ao vivo pela TV local. Estiveram presentes autoridades e celebridades locais e o público que comparecereu ao ginásio da Universidade Americana.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

GRACIE BARRA FATURA O OPEN DE JIU-JITSU.








































Organizado pela Fight House/Gracie Barra São Luis, o primeiro Open de Jiu-jitsu aconteceu nesse último domingo em São Luis, no Ginásio Paulo Leite.

Com um bom público e com uma estrutura bacana de placares eletrônicos, três áreas, equipe de fisioterapeutas de plantão e com boas lutas, a Gracie Barra São Luis foi a grande campeã seguida da Guardião Jiu-jitsu e em terceiro lugar ficou a

Jairo Vidal.






A Gracie Barra São Luis foi a campeã de todos os absolutos, da faixa branca a faixa preta. Destaque para os atletas Leonardo Leite (vencedor da categoria super pesado e absoluto roxa), Eduardo Leite, o "Batatinha" ( vencedor da categoria pesadíssimo e absoluto faixa marron) e Handerson Martins, campeão da absoluto faixa preta.

Por lá nomes como professor Jairo Vidal, professor Wesley da Guardião que acompanharam seus alunos de perto.


Parabéns a organização pela iniciativa e coragem.


Confira algumas fotos.